Os pensamentos negativos e o Imperativo categórico (Marcelino Lira)

25 03 2017

a

Não foi a primeira, e nem será a última vez, que recebi uma mensagem que continha um conselho para as pessoas: “Se afaste de pessoas com pensamentos negativos”. O texto, que, por sinal, dessa vez, estava bem escrito, descrevia que os pensamentos negativos possuíam energia própria. Não só isso. Ele dizia que essa energia contaminava todo o ambiente. Então, um processo de propagação do pensamento negativo não só afetava àquele que pensa, mas também a todo o seu entorno, incluídas as pessoas.

Por isso, ainda o mesmo texto aconselhava a todos que saíssem da presença de pessoas que estão com pensamentos negativos, para que não se contaminassem com eles. Abrangia, também, o raio de ação do conselho, que fossem evitados os ambientes em que os pensamentos negativos ocorrem, algumas músicas, alguns filmes, alguns noticiários e por aí vai.

Imediatamente fiquei pensando no imperativo categórico de Immanuel Kant (1724-1804). Por ele, a eticidade de uma ação deveria ser analisada não por parâmetros heterônomos, mas pela racionalidade de uma reflexão autônoma. “Age como se a máxima de tua ação devesse tornar-se, através da tua vontade, uma lei universal”. Vamos, então, pensar, usando o esteio do imperativo categórico, como se todos pensassem da mesma forma. O que ocorreria com a máxima “se afaste de pessoas com pensamentos negativos”, se fosse universal?

Primeiramente não existiriam policiais. Quem se aproximaria de pessoas que estão em conflito tão arraigado? Com uma energia tão negativa quanto os criminosos e/ou suas vítimas? Não existiriam pessoas para se candidatar a essa função. Da mesma forma, não existiriam promotores, advogados, juízes, serventuários do Judiciário, agentes penitenciários… E médicos? Não existiriam médicos, claro! Afinal de contas, a maioria das pessoas que procuram os médicos está com uma energia negativa. Medo da doença, incômodo com a doença, perspectiva do incômodo dos exames… Quem em sã consciência se aproximaria dos doentes físicos? Nem os médicos, nem os enfermeiros, nem os fisioterapeutas, nem os fonoaudiólogos, ou qualquer profissional de saúde. É muita energia negativa! E os psicólogos? Esse devem ser os piores!!! A maioria das pessoas procuram os psicólogos justamente porque estão com “pensamentos negativos”! Não existiriam os psicólogos.

Creio que já é possível, apenas com esse punhado de exemplos, perceber que a máxima “se afaste de pessoas com pensamentos negativos” não é das mais éticas, levando o imperativo categórico como parâmetro…

Com isso, não quero dizer que a pessoa deva “mergulhar profundamente em um mar de desespero”. Digo apenas que a vida contém coisas por demais desagradáveis, mas não é negando ou fugindo dos sentimentos negativos que se consegue viver – e principalmente viver com o outro. A vida possui mazelas, e possui bônus fantásticos. Cabe ao sujeito organizar-se psiquicamente para lidar com as variações tão comuns dessa vida…

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: